O Segredo para Relacionamentos mais Felizes

by | Mar 4, 2015 | Uncategorized | 3 comments

Hoje venho falar-vos do Segredo para Relacionamentos mais felizes.
Os relacionamentos são muitas vezes uma das áreas mais desafiantes nas nossas vidas… Muitas vezes conheces uma pessoa cedo, começas a sentir “amor” cedo, a namorar cedo e a separar-te cedo… E mais tarde, conheces o “homem da tua vida”… Voltas a amar, voltas a namorar e voltas a repetir o padrão e voltas a separar-te… E a história repete-se até te dares conta que estás novamente a ter um “déjà vu”. E começas a pensar que és um fracasso nos relacionamentos… Mas esta é uma forma de ver a situação, mas não é a única.

Eles/elas são homens/mulheres fantásticos(as) e neste momento estão casados com mulheres/homens maravilhosas(os) e tu continuas a manter alguma amizade com eles… Nem que seja através do facebook.

Mas a verdade é que tu namoraste com todas estas pessoas, com excepção de uma única pessoa, a que tu realmente precisas de amar e casar, com o objectivo de ter um relacionamento completo. E há um dia em que tu decides amar e casar com essa pessoa e nessa altura sentes que os teus relacionamentos irão ser um sucesso até mesmo aqueles que correm menos bem.

O que eu te estou a falar hoje é de inventar relacionamentos…

Depois de várias tentativas, erros, aprendizagens, encontras a pessoa que mais te fez feliz até hoje e que vai transformar completamente a tua vida em amor… E essa pessoa és tu!

Porque o segredo para teres relacionamentos mais felizes é casares contigo própria(o)! É assumires uma relação de compromisso pleno e de amor contigo mesma(o)! Pois os relacionamentos com o outro só podem ser trabalhados/observados a partir da relação contigo mesma(o)!

Mas afinal o que significa casares contigo mesma (o)?

É algo tão desafiante e maravilhoso, que se eu conseguisse resumir o que é, talvez eu diria que é teres um relacionamento contigo mesma e depois colocares tu própria(o) um anel, a aliança sobre ele. É construíres um relacionamento contigo mesma(o) em que sentes que agora estás completa(o), estás preenchida(o) e que não há nenhum homem, mulher, trabalho ou circunstância que te vai fazer sentir mais realizada(o) e preenchida(o), porque tu já o és.

E isto muda a tua vida. Porque esta proposta que te faço é uma proposta muito desafiadora e profunda, mas é nos lugares que existem maiores desafios que nós temos mais para dar.

Mas afinal o que é casar realmente contigo própria(o)?

É seres dolorosamente muito honesto contigo mesmo e isto não é fácil… Mas não é impossível!

Porque se tu te vais casar, tu vais casar até que a vida vos separe! E para te casares vais fazer votos contigo mesma(o)!

  1. Vais casar-te na pobreza e na riqueza, e isto significa que te vais amar a ti própria(o) exactamente como és, sem tirar nem por… Com o mesmo cabelo, o mesmo corpo, com as separações que já viveste ou que ainda não viveste, com as situações mais felizes, mas com as situações mais desafiantes e mais dolorosas que já passaste… Com aquilo que fizeste bem e com aquilo que chamas de erro.
  2. Vais casar no pior e no melhor… E isto significa que estás disposta(o) a amar-te no melhor que sentes e tens (e quando   falo no pior estou a referir-me por exemplo, tu até podes não ter a profissão que querias, tu até podes não ter uma casa, tu até podes não conseguir engravidar, tu até podes ter um conflito com a tua mãe e não falares com alguém que significa muito para ti)… Seja o que for, isso não importa mais… Porque quando tu te casares contigo mesma(o) tu concordas em ficar contigo e não importa com o quê e como.
  3. Depois tu vais casar na saúde e na doença e isto significa que vais ter de te perdoar pelos erros que já cometeste e que te arrependeste… E um erro não é uma falha, a não ser que não aprendas e cresças com ele. Casar na saúde e na doença significa aprenderes a sentar-te na tua própria cama, aprenderes a segurar a tua mão nos momentos mais difíceis da tua vida, cuidando de ti e dando te colo a ti própria(o) e nessas alturas vais sentir que podes contar sempre contigo.
  4. Por último e não menos importante…Casares contigo própria(o) é teres-te e manteres-te e isto significa que tu te amas a ti mesma(o) da mesma forma como tu queres que alguém te ame.

Muitas vezes entramos nos relacionamentos na esperança de resolver um sentimento de falta, em que parece que falta qualquer coisa sempre. E pensamos que nós não somos completos a não ser que alguém nos ame e por vezes a não ser que constituíssemos uma família.

Casar contigo própria(o) transforma todas as áreas da tua vida: trabalho, relações familiares, relações sociais, amigos… Porque quando te casas verdadeiramente contigo própria(o) tornas-te capaz de amar da mesma forma qualquer pessoa. E quando casares verdadeiramente contigo própria(o) tu dás-te conta que já tens tudo o que precisas.

Isto não significa que deixes de ter relacionamentos, e que partilhes esse amor com alguém, mas quando por exemplo, num encontro com uma pessoa, em vez de estares a pensar o que ele acha de ti ou a inconscientemente estares a agradar essa pessoa, de forma que ela goste de ti, estás a reparar como te sentes na presença dessa pessoa, porque tu não estás interessada em arranjar alguém, estás mais interessada em saber como te sentes sobre ti do que sobre essa pessoa.

E tu não vais precisar mais de sentir a necessidades te dizerem “Eu amo-te”, porque tu já ouviste de ti mesma(o), que é a primeira pessoa que deves de ouvir.

E quando te casas verdadeiramente contigo mesma(o), tu nunca te vais deixar, pois agora és casada(o) com a única pessoa que realmente queres estar o tempo todo, tu própria.

E se encontrares alguém tu sentes:

“Não necessito de ti para ser feliz. A felicidade é um assunto da minha própria responsabilidade. Em todo o caso, elejo-te com todo  meu coração para a partilhar contigo.”

Isto não é um processo que aconteça num dia, numa semana ou num mês, o processo de te teres e alimentares uma relação contigo mesma(o), para que tenhas relações mais felizes com o outro, é um processo contínuo, que investe muita honestidade, verdade, dedicação e coragem da tua parte e que é para o resto da tua vida…

Por isso, deixo-te o convite para iniciares esta relação contigo mesma(o) e partilhares comigo, através do email consultas@silviadias.pt, onde a privacidade e a confidencialidade estão sempre presentes, que experiências é que já começaste ou vais começar a fazer para alimentares esta relação tão desafiadora, mas tão maravilhosa. Caso não tenhas ideias do que podes fazer, entra em contacto comigo e receberás uma série de propostas desafiadoras para iniciares este relacionamento tão inovador.

Bem-haja!

3 Comments

  1. Helena pinto

    Parabens silvia pelo teu “Bebe”. Será um sucesso porque tu es uma pessoa fantastica ! Bjnhos helena pinto
    👌🏼😀😀😀😀😀😀

    Reply
  2. Rute

    Muito bom. Gostei muito…
    Grata

    Reply
  3. Joana Fernandes

    Adorei este teu texto e acredito plenamente que a felicidade, bem como a mudança, vem de dentro para fora…
    Parabéns Sílvia pela pessoa que és, tanto a nível pessoal, como profissional…
    Um grande beijinho da Joana Fernandes

    Reply

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

RECENT POSTS

Equilibra o Feminino e o Masculino que há em Ti e Renasce!

Equilibra o Feminino e o Masculino que há em Ti e Renasce!

Hoje celebra-se Ostara, um festival solar também conhecido como Equinócio da Primavera. Este festival marca um momento de união e de amor entre a Deusa (Lua) e o Deus (Sol), pois é um período de igualdade e equilíbrio entre as forças da Natureza e em que o dia e a...

Desperta o Fogo que há em Ti e Floresce!

Desperta o Fogo que há em Ti e Floresce!

Hoje celebra-se o Imbloc, um festival gaélico que comemora a passagem do Inverno e a abertura do caminho para a Primavera. É o dia em que honramos o renascimento do Sol. Este Sabbath originou-se na antiga Irlanda, nas comemorações da Deusa Brighid, Brigid, Brigith,...

Uma viagem de auto-conhecimento…

Uma viagem de auto-conhecimento…

Olá! Como estás? Eu?!.. Pronta para me desligar do dia-a-dia habitual e me permitir ser acolhida pelo som dos pássaros e da água a correr, pelo verde da terra que realça na tela e pela vitalidade das árvores… Mas enquanto isso, faço um balanço e revivo todos os...